LIVROS

                 

 QUEIROZ, Eça - A cidade e as Serras - Todos os livros do Eça são excelentes! É um autor minucioso sem ser sensaborão, perspicaz no conhecimento da alma lusitana, ainda tão actual! Este é mais um que o consagra e foi o primeiro livro que li dele no 9º ano.








QUEIROZ, Eça, ORTIGÃO, Ramalho - O Mistério da estrada de Sintra -
Um triller policial à boa maneira queirosiana.
                      
BRONTE, Emily - O monte dos vendavais - Adorei este livro. É um livro intenso e também o li na altura da intensidade da vida - a adolescência.









BRANDÃO, Raúl - A morte do palhaço - Poderoso. Percebi que não é um livro fácil de se gostar quando o indiquei a alguém para o ler e me disseram que precisava de me tratar :).






DICKENS, Charles - Um conto duas cidades - Foi uma leitura imposta que acabou por se tornar aditiva. Não consegui parar de ler. Quando cheguei ao fim percebi que tinha vivido a Revolução Francesa "in loco". Extraordinário!








GAIO, Silva - Mário - Uma versão light de Amor de Perdição digo eu, talvez por isso, tenha gostado. A versão de Camilo é muito hard para meu gosto. Posso acreditar que naquele tempo o amor fosse constantemente um tragi-romance, mas Amor de Perdição...é pesado. Quando li Mário, e embora, não me lembrando pormenorizadamente da história, identifiquei a história com a de Amor de Perdição.







TAMMARO, Susanna - Vai aonde te leva o coração - Lio-o num dia. Não consegui parar. Penso que a leitura é como tudo o resto, depende do momento. E há momentos em que sequiosos, absorvemos tudo.








FALLACI, Oriana - Entrevistas com a História - Li este livro fantástico teria entre 13 e 15 anos, pelo menos para mim, foi fantástico. As entrevistas às personagens da política que eram um ícone... algo que na altura ainda existia, ícones na política e no jornalismo. Engraçado a decadência de ambas as actividades, ao longo dos tempos...







TWAIN, Mark - Tom Sawyer - Um clássico que li em
 miúda e, claro, adorei. entretanto já surgiram tantas
versões deste grande livro em filme que baralha o
original. No entanto é um livro memorável, que
vai de encontro à infância de outros tempos...no entanto
 a peculiaridade de um grande livro, texto é manter-se
actual independentemente do tempo e as
características dos miúdo Tom Sawyer e Huckleberry Finn são
sem dúvida intemporais.




HEMINGWAY, Ernest - O velho e o mar - Li este livro por
obrigação e em inglês, precisamente para a disciplina de
inglês, tinha 15 anos. Detestei. Mais tarde resolvi lê-lo
em português pois, recusava-me a não ter uma ideia
mais concreta sobre um autor tãoconceituado aclamado.
E realmente achei a história muito mais interessante,
não posso contudo dizer que é um autor que me
seduziu, pelo menos até agora. Veremos se com
a idade me aproximarei mais da mensagem.






CRISTHIE, Agatha - A coleção toda. Adoro esta escritora!
Primeiro porque escreve sobre um tema que eu aprecio
desde miúda e depois porque o faz bilhantemente.
Claro que pesa ser mulher e do início do século XX.
Não posso deixar de me sentir completamente
deslumbrada pela capacidade que algumas mulheres
tinham de serem únicas no seu tempo. Fabulosa!







BRANCO, Camilo Castelo – Maria Moisés (Novelas do Minho) – Camilo que conheço desde de muito nova foi sempre aquele autor que estranhamente não conseguia gostar.
Era-nos imposto em tantos anos, ouvia falar dele por toda a
gente e em tantas situações, mais que o meu adorado
Eça e não percebia porquê.

Não que perceba agora mas Maria Moisés
é uma novela que adorei e estranhamente
também ou não, Camilo parece-me muito
mais perto de Eça do que nunca.

A História é fabulosa e soberbamente escrita. Ah tem a vantagem de descrever a vida nortenha.

Outra coisa curiosa pelo menos na análise que faço, entre este escritor e Eça é a fisionomia. Se bem que existam até semelhanças físicas Eça tem um semblante alegre até gozão e Camilo triste, como se carregasse um grande fardo. A escrita faz justiça ao retrato físico de ambos.




PICOULT, Jodi - "é licenciada em Escrita Criativa pela Universidade de Princeton e tem um mestrado em Educação da Universidade de Harvard. Galardoada com o New England Book Award em 2003 pela totalidade da sua obra, é autora de dezoito romances, todos bestsellers. Vive em New Hampshire com o marido e os três filhos."
(http://www.civilizacao.pt/autor/autor.aspx)

É uma autora recente e que descobri agora. Apesar de achar que a tradução do livro está bastante má em muitas partes, é um livro fascinante. A história está muito bem construída e tem uma abordagem a várias áreas da vida. Escreve também com um grande sentido de humor. O livro de que falo em português é "No seu mundo" em inglês "House rules".




GARCIA MARQUEZ, Gabriel - Descobri este autor, como não podia deixar de ser, com Cem Anos de Solidão. Também li Memórias das Minhas Putas Tristes. É fabulosa a sua escrita, de uma sensibilidade, de uma intensidade e de uma tristeza "cómica" que nos impele a ler ininterruptamente.