domingo, 24 de julho de 2011

Quando se transforma a amizade…

Diz o ditado “Quem tem amigos não morre na cadeia”.
A amizade pode ser das relações mais gratificantes do mundo. Há aquela pessoa com quem podemos contar “incondicionalmente”, pois também sabemos até onde podemos e devemos ir. Existe um “acordo implícito” no respeito pelo espaço, pela vida, problemas, etc., um do outro ou, outros. Isso é tão natural que diria que é instintivo porque só assim sobrevive a relação mais simples do mundo entre seres humanos. Na minha opinião todas as outras são muito complexas à nascença: pais e filhos, irmãos e irmãs, maridos e esposas, amantes, etc.
Mas quando a amizade se transforma?
Sim, porque tudo muda e, ao longo dos tempos as pessoas necessariamente mudam. A amizade poderá subsistir às mudanças, e é o que normalmente acontece quando é “verdadeira”, mas eventualmente a amizade pode ser permeável, transformando-se.
Quando é a entre mulheres normalmente as mudanças têm a ver com ciúmes, inveja e competição: “porque foste com ela e comigo não pudeste; porque lhe deste o teu relógio e eu já te tinha dito que o adorava…” É a rendição aos sentimentos mesquinhos e absurdos que estão, intrinsecamente ligados ao nosso lado feminino, pela via social, acima de tudo.
Quando a amizade é entre os dois sexos e se transforma, obviamente é o sexo que está na base da mesma. Ou porque nos apaixonámos ou se apaixonam, e começa tudo a mudar e amizade vira algo de estranhamente indesejável e desconfortável. Ou porque se está sozinho e o instinto fala alto e nos envolvemos fisicamente e, tudo se transforma para pior. É o constrangimento de não saber como reagir com um amigo ou amiga com quem fomos para a cama. E claro o comportamento típico masculino, presunçoso e egocêntrico, induzido, também ele, pela via social, em que receosos que nos apaixonemos e possamos querer algo mais, fogem a sete pés e lá se foi mais uma amizade…
Pois… quando a amizade se transforma.
No entanto, quanto a mim é das melhores coisas do mundo e sinto-me grata pelas amigas e amigos que tenho, creio poder dizer que sou uma sortuda.